Deixem o leite em paz.

close up of milk against blue background

No princípio era a lactose. Hordas de intolerantes a este hidrato simples quiseram bani-lo do leite.

Depois foram os “estudos”. A nascer como cogumelos, provando que o leite, ele mesmo, devia ser banido da dieta dos adultos. Porque não somos nenhum vitelo para beber leite pra sempre e tal e que faz mal e que o leite é o ópio do séc. XXI. Enfim.

Depois foram surgindo os “leites” vegetais, de soja, de amêndoa, de azeitona do Pará, de tudo… Há inclusive uma querela na indústria dos lacticínios sobre se essas bebidas vegetais se devem poder chamar “leite” (cfr. Got Milk? Or Was That Really a Plant Beverage?).

Resumindo, anda tudo tolo com o leite. Mas o melhor ainda estava pra vir. Preparem-se.

Ora bem, no outro extremo do espectro, mais propriamente na extrema-direita há mentes iluminadas que distorcem o resultado de estudos científicos sobre a capacidade de processar a lactose (mais comum na população “branca”) para nisso afirmarem a superioridade da raça branca, ariana, cara-pálida… o que seja.

Estas criaturas pegaram num estudo sobre a história evolutiva do gene que permite digerir a lactose e interpretaram-no duma maneira bastante idiota. O estudo referido no artigo do NYTimes (Why White Supremacists Are Chugging Milk (and Why Geneticists Are Alarmed) explica que o gene que permite a digestão da lactose normalmente desliga-se depois da infância. Mas com a chegada dos primeiros pastores à Europa (há cerca de 5000 anos atrás), uma mutação do gene gerou uma vantagem nutricional de tal forma que quase todos os que sobreviveram a transportaram para as novas gerações. Mas esta mutação genética não é exclusiva da Europa, ocorreu também em pastores do norte de África como refere o estudo. E foi isto.

Nem vou entrar na questão da “superioridade” e da “raça” (porque não saía daqui hoje), mas beber leite em adulto é um super poder agora? Aquela gente tem mesmo vistas curtas ou calcificaram a mioleira. Pra mim um super poder é voar sem um fato da redbull, tornar-se invisível quando se quiser, teletransporte, telepatia, telecinese, sei lá. Há uma catrefada deles aqui: List of Supernatural Powers and Abilities mas não vi nenhuma “capacidade de beber leitinho”.

E pra quem quiser ver, no artigo há um vídeo com senhores de extrema direita ou supremacia-ó-cenas a emborcar leite que nem doidos. E a mostrarem que são fortes e o caraças. Era aqui que devia entrar o Diácono Remédios e dizer “não havia necessidade zzzz”.

Mas tá tudo tolo?

Eu quando era pequena achava que tinha poderes porque conseguia ver “através” das pessoas.

Mais tarde disseram-me que era estrabismo.

Acho que alguém lhes devia dizer pra irem ao médico. Era o que deviam ter feito comigo.

P.S. Nenhum intolerante à lactose ou bebedor de leites vegetais foi maltratado durante a redacção deste artigo. Aqui no blog somos todos muito tolerantes. À lactose inclusive.